Atualização | O Horizonte é logo ali

Boletim3-300x265Apenas 7 meses após a publicação do boletim “O Horizonte é logo ali”, sua atualização fez-se necessária e as previsões e tendências ali contidas começaram a se delinear neste diferenciado início de ano de 2015. As ameaças constatadas acabaram se cumprindo? Novas ameaças surgiram? As iniciativas populares receberam maior impulso?

O contexto atual não deixa dúvidas: 2015 está sendo um ano de intensa reação conservadora – a maior do período recente deste país – e os direitos humanos estão na mira. O cenário de crise econômica, social e institucional fornece o pano de fundo para os muitos retrocessos que temos vivido. A mobilização popular para coibir estes desmandos se faz mais necessária do que nunca.

Por isso confira as informações atualizadas a respeito da agricultura familiar e agroecológica. Confira o boletim atualizado aqui.

 Boletim O Horizonte é logo ali – valorização das práticas agroecológicas e conhecimentos tradicionais

Em meio as recentes ameaças promovidas pela bancada ruralista com a votação do Projeto de Lei 7735/2014, e da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215, o  Boletim O Horizonte é logo ali – produzido pela Terra de Direitos no fim de 2014 – traz uma importante análise dos instrumentos e acontecimentos ligados aos povos e as comunidades tradicionais e projeta possíveis impactos dessas ações para 2015.

O Boletim surge com o propósito de fazer ver as práticas, conhecimentos, os modos de fazer e viver que vêm sendo produzidos e reproduzidos por povos e comunidades tradicionais, agricultores e agricultoras familiares já há tempos, e que têm contribuído, e muito, para a conservação da bio e agrobiodiversidade. Esse “fazer ver’’ se direciona aos órgãos públicos, dos quais devemos cobrar políticas de incentivo e fomento a estas atividades. Também está voltado àqueles e àquelas que, muitas vezes, não enxergam a importância e o valor das suas práticas e conhecimentos. Deste propósito, otimista e com o olhar para o futuro, vem o título: “O horizonte é logo ali’’.

Sim, “O horizonte é logo ali’’! Pois as alternativas ao modelo de produção e de desenvolvimento posto, fundado na exploração da mulher, do homem e da natureza, já estão sendo construídas: a agroecologia, as práticas e conhecimentos produzidos e reproduzidos por povos e comunidades tradicionais, e a organização e resistência destas comunidades.

Cabe a nós, sociedade civil organizada, cobrar do Estado o reconhecimento e incentivo destas atividades, seja por meio da criação de leis específicas, políticas públicas ou representatividade nos espaços institucionais de decisão.

Arquivado em Publicações

Newsletter

Cadastre-se para receber as novidades da Terra de Direitos