Notícias / Notícias



Carta pública contra o loteamento político da Fundação Nacional do Índio e o desmonte da política indigenista


Em documento público, servidores da Funai e organizações sociais denunciam a influência político-partidária na administração do órgão, bem como a nomeação de responsáveis pelas áreas sem o devido atendimento à critérios técnicos e comprometimento com questões indígenas. 

Servidores mobilizados da Fundação Nacional do Índio (Funai), com apoio das organizações de defesa dos povos indígenas, manifestam, em Carta pública divulgada neste sábado (09), a oposição e denúncia do sucateamento orçamentário e loteamento político do orgão responsável pela política indigenista no país.

Em documento nomeado de “Carta pública contra o loteamento político da Fundação Nacional do Índio e o desmonte da política indigenista", e assinado por mais de trinta organizações, entre elas a Terra de Direitos, denuncia-se também a desvalorização do corpo técnico e o desmonte da política indigenista por meio de sucessivos cortes orçamentários pela política econômica austera aprofundada pelo governo de Michel Temer (MDB).

De acordo com a Carta Pública, a denúncia realizada em maio pelo Jornal Estado de São Paulo, de conversas entre setembro e outubro de 2017 entre o diretor de administração Funai, Francisco José Nunes Ferreira, e um funcionário da área de tecnologia para favorecimento de empresas vinculadas à parlamentares é ilustrativa das relações indevidas entre o órgão e os demais poderes.

"Não é de hoje que o loteamento político dos cargos da Funai compromete a missão primordial da instituição, qual seja, a proteção e promoção dos direitos dos povos indígenas no Brasil", aponta um trecho do documento, no qual destaca a influência do Partido Social Cristão (PSC), em especial do líder do governo no Congresso, deputado federal André Moura (SE), na indicação de cargos de chefia da Funai.

O documento ainda defende que o cargo de Diretor de Administração e Gestão da Funai seja ocupado por um “técnico efetivo do órgão ou pessoa com expertise técnica compatível com as atribuições do cargo” e denunciam um quadro de perseguição e abusos à servidores do órgão.

Acesse, na íntegra, a Carta pública contra o loteamento político da Fundação Nacional do Índio e o desmonte da política indigenista
Foto: Mídia Ninja



Eixos: Democratização da justica e garantia dos direitos humanos