Acervo / Artigos



Pelos 15 anos, de dentro do coração


Vi nascer a Terrinha, como gosto de chamar a Terra de Direitos, e ela já alcança 15 anos de lutas e conquistas! Desde o início, acompanhei no que pude suas atividades voltadas para o urbano e aprendi muito. Em suas salas, foram acaloradas as discussões, as mobilizações, as comemorações por vitórias e o consolo pelos desencantos...

Ali entendemos juntos o que é o direito à cidade e passamos a traduzi-lo aos que ainda não sabiam sobre ele, a buscar formas de assegurá-lo indistintamente, a defendê-lo sem descanso. Nas ruas, junto aos movimentos sociais e comunidades urbanas, e nas esferas de representação abertas por ventos democráticos, participamos de conferências, debates, audiências, programas de formação, sempre na perspectiva de ampliar os direitos e garantir seu acesso por todas as cidadãs e cidadãos.

Ali deciframos as dificuldades para o exercício da cidadania metropolitana, particularmente em uma “cidade modelo”, onde o imaginário coletivo fora tornado acrítico, os problemas e as contradições urbanas feitas invisíveis, facilitando a consolidação de uma gestão segregadora e excludente.

Nas salas da Terrinha demos vida ao Observatório de Políticas Públicas Paraná e, em suas atividades, foram se desmistificando esse urbanismo que deu certo e revelando uma região metropolitana desigual e vulnerável. Relatos inaceitáveis de injustiças, desocupações violentas, contratos falsos para moradia, par ao aumento de sem teto e de moradores de rua atiçavam nossas discussões teóricas, confirmavam nossos dados estatísticos e nos orientavam ao enfrentamento.

Foi uma construção sólida em princípios, um posicionamento crescente sempre em direção à luta pelo direito à terra urbana, à moradia digna, à possibilidade de ir e vir entre tantos municípios que formam uma única cidade, ao usufruto de serviços, ao desfrute das artes e da criação, à formação de representantes dos segmentos mais excluídos para que tivessem voz nos assentos que se abriam nos espaços de participação.

Essa foi a luta que não teve trégua nesses 15 anos. Consolidar a democracia e garantir o direito à cidadania. E quando todos acreditavam que a democracia se tornara inabalável, eis que muda a direção dos ventos. Agora, a cada dia se esvai um direito, uma esfera de participação, um programa social, um benefício.

O Estado Democrático de Direito se vê alvejado, e mais sofrem os mesmos segmentos historicamente excluídos. Outra vez a Terrinha tem que estar pronta para não esmorecer em sua luta, ainda mais necessária. E, certamente, está preparada para a defesa dos diretos tão sofridamente conquistados, da justiça, da liberdade e da soberania popular - como sempre fez, como nos mostra sua história.



Notícias Relacionadas


15/06/2017  •  Defensores e Defensoras de Direitos Humanos +

Terra de Direitos: 15 anos na luta por direitos humanos e por democracia



Ações: Defensores e Defensoras de Direitos Humanos
Eixos: Política e cultura dos direitos humanos



Autor

Colunista


Rosa Moura

Doutora em geografia, é professora da UFPR, pesquisadora do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), dos Institutos Nacionais de Ciência e...

Sobre