Notícias / Notícias



Integrantes da Terra de Direitos recebem homenagem pela atuação como defensoras de direitos humanos


Luciana Pivato e Givânia Maria da Silva estão entre as oito mulheres homenageadas pela Justiça Global

A Justiça Global promove nesta sexta-feira (23), no Rio de Janeiro, a IV Homenagem Maria do Espírito Santo Silva, como forma de valorizar a atuação de defensoras de direitos humanos no Brasil. Nesta quarta edição, serão homenageadas oito mulheres de diferentes partes do país e com atuação em diferentes áreas. Integrantes da Terra de Direitos, Luciana Pivato e Givânia Maria da Silva receberão a  homenagem.

A cerimônica ocorre em um momento emblemático de perseguição e violência contra defensoras de direitos humanos no país. No dia 14 de março, a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL), defensora da população negra e de periferia  - além de criticar aos abusos da polícia militar - foi assassinada com quatro tiros. Outras defensoras também sofrem constantes ameaças e ataques, como a coordenadora  do Movimento  Interestadual de Quebradeiras de Coco (MIQCB), vítima de uma tentativa de homicídio no início de março, no Piauí.

Conheça as homenageadas

Advogada popular, Luciana participou do momento de estruturação da Terra de Direitos, em 2002, em Curitiba. Desde então, tem atuado no acompanhado processos de criminalização de movimentos sociais, casos de reitegração de posse e de violações de direitos humanos, além de incidir na pauta de democratização da Justiça. Além de Curitiba, já atuou no escritório da Terra de Direitos em Recife-PE, e atualmente está em Brasília. Integra também a Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares (Renap).          

Para a advogada, as mulheres estão na luta na linha de frente nas lutas por direitos humanos, mas são também as mais atingidas pelas dinâmicas de injustiça e autoritarismo. "O machismo predomina nas estruturas de maior poder no sistema de Justiça. Este machismo se manifesta, por exemplo, na menor presença de mulheres em locais de maior poder (ministros, desembargadores, advogados conselheiros das OAB)", fala.

Integrante do Conselho Diretor da Terra de Direitos, Givânia também receberá a homenagem. Quilombola de Conceição das Crioulas, em Pernambuco, a educadora foi uma das fundadoras da Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas do Brasil (CONAQ). Participa de núcleos de pesquisa de Estudos Afro Brasileiros e de Povos e Territórios Tradicionais na Universidade de Brasília.

Givânia também já foi coordenadora geral de regularização dos territórios quilombolas do INCRA e secretária Nacional de Políticas para as comunidades tradicionais do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial, Direitos Humanos e Juventude.

Além de Givânia e Luciana, serão homenageadas Alessandra Makkeda, ativista transfeminista; Gizele Martins, jornalista e comunicadora comunitária; Lia Rocha, socióloga e professora da Universidade Estadual do Rio de Janeiro; Lucia Xavier, militante negra e feminista, coordenadora da organização Criola; Maria Dalva Correia da Silva, moradora do Morro do Borel, mãe de jovem morto pela PM e fundadora da Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência; e Victória Grabois, professora e integrante da diretoria do Grupo Tortura Nunca Mais-RJ.

Sobre a homenagem

A iniciativa recebe o nome de Maria do Espírito Santo Silva como forma de lembrar da história da defensora assissinada em 2011 junto com seu companheiro José Claudio Ribeiro da Silva, em Nova Ipixuna, Pará, por denunciar ações ilegais de madeireiros e carvoeiros na região. A homenagem é realizada desde 2014, de forma anual.

A cerimônia desta edição será realizada neste dia 23, às 18h, no Salão Nobre, no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro.



Notícias Relacionadas




Ações: Defensores e Defensoras de Direitos Humanos