Notícias / Notícias



3 de dezembro: Dia Internacional de Luta contra os Agrotóxicos

03/12/2015
Assessoria de comunicação Terra de Direitos
/ Com informações da Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida

No Dia Internacional de Luta contra os Agrotóxicos, o Fórum Estadual de Combate aos Agrotóxicos e Controle do Tabaco e o Núcleo de Estudos de Saúde Coletiva da UFPR lançam o Observatório do Uso de Agrotóxicos e Consequências para a Saúde Humana e Ambiental do Paraná.

O lançamento será realizado nesta quinta-feira (3), às 14h, no auditório do Ministério Público do Trabalho, em Curitiba. A criação deste organismo pretende contribuir principalmente para o fortalecimento de uma vigilância popular que se aproprie do conhecimento e seja participante ativo nas políticas agrárias, de meio ambiente, de saúde e da soberania alimentar.

O Paraná, terceiro maior estado consumidor de agrotóxicos do país, tem 78% de seu território concentrado em atividades agrícolas e pecuárias, das quais 80% fazem uso de agrotóxicos. Apesar do grande risco envolvendo o uso de agroquímicos, não existe no estado qualquer tipo de controle e monitoramento de seu uso e efeitos sobre a saúde da população paranaense.

Por que celebrar um dia contra os agrotóxicos? 

Lembrado em 3 de dezembro, o Dia Mundial sem Agrotóxicos se refere a data em que cerca de 20 mil pessoas morreram, em 1984, após a explosão de uma fábrica de agrotóxicos, na Índia. Por isso, dezenas de cidades brasileiras realizarão nesta quinta-feira mobilizações para denunciar os prejuízos irreversíveis causados pelo uso de agrotóxicos, aparelhados à bancada ruralista, e exigir o fomento à agroecologia, única alternativa possível para uma produção livre de venenos.

Repensar o modelo agrícola brasileiro, atendendo as reais demandas do povo brasileiro em relação à produção de alimentos saudáveis, sem agrotóxicos ou transgênicos, garantindo a saúde de milhares de trabalhadores rurais que são expostos a substâncias químicas prejudiciais à saúde diariamente, é o principal mote da Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida que, em 2015, realizará sua quinta manifestação nacional.

Apesar da luta incessante dessas organizações e pesquisadores contrários ao uso dessas substâncias químicas, neste ano o Brasil foi palco de muitos retrocessos em relação a produção de organismos geneticamente modificados e defensivos agrícolas.

A posição ocupada pelo país entre os maiores compradores e utilizadores de agrotóxicos do mundo, ilustra o contexto político brasileiro onde o agronegócio detém uma força motriz, capaz de influenciar as políticas do governo.

Neste cenário, a luta pela aprovação do Programa Nacional de Redução de Agrotóxicos (Pronara) e contra o projeto de lei n° 3200 de 2015, de autoria do deputado Covatti Filho, que visa substituir a atual Lei de Agrotóxicos (7802/1989), alterando completamente o sistema normativo de agrotóxicos no país, é urgente e necessário em um país onde são consumidos, em média, 7,4 litros de agrotóxicos por pessoa.

Serviço | Lançamento Observatório do Uso de Agrotóxicos e Consequências para a Saúde Humana e Ambinetal do Paraná

Data: 3 de dezembro de 2015, às 14h
Local: Auditório do Ministério Público do Trabalho (MPT)
Endereço: Avenida Vicente Machado, 84 – Curitiba

 

 



Notícias Relacionadas




Ações: Biodiversidade e Soberania Alimentar